Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

babidibupi

Alegria. Amigos. Família. Faculdade. Livros. Música. Viagens. Amores. Futilidades. Desabafos. Tudo e mais alguma coisa. Babidibupi!

babidibupi

31
Ago15

Setembro

 

Ainda é dia 31 de Agosto mas eu já noto a diferença. Hoje já não fui atropelada pelos 3585445 turistas que andam de visita ao Porto. Já tive lugar sentada e espaço para respirar no metro a caminho de casa. Já há menos lugares vagos no parque e mais cadeiras ocupadas lá no estaminé. O trânsito voltou à minha rua que está perto das faculdades. Mas eu pela primeira vez desde que me lembro não estou a sentir a chegada do mês de Setembro do mesmo modo. Não há "back to school" este ano.

30
Ago15

Again and again

Ele não me provoca borboletas na barriga. Ele não me tira o sono com a expectativa do reencontro na manhã seguinte. Mas e ele as suas gargalhadas infantis fazem-me rir. Ele não me faz repetir a mesma história vezes sem conta, ele presta atenção da primeira vez. No meio de uma manhã atarefada, receber uma mensagem dele no chat deixa-me logo bem disposta. Ele é aquela pessoa que acharam que era meu namorado. Não é, mas a ideia não morreu. No café, depois do almoço, é a hora de fazer uma lista de motivos porque somos almas-gémeas. Eu alinho na brincadeira porque that's who I am, a ironia é minha amiga e no fundo não me importava nada. Mas ele não. Ele fica meio chateado e diz "parem" ou "eu estou aqui, parem de falar como se eu não estivesse". E deixa-me um bocadinho triste. Nem na brincadeira ele me acha boa para ele.
27
Ago15

Stress

 

 Toda a minha vida ouvi falar em stress. Eu que sou uma stressada passei grande parte da minha curta existência em stress (ah, as épocas de exames!). Por isso achei que estava mais do que preparada para o stress empresarial. Ó meus amigos, como estava enganada! É tudo para ontem, tudos os pequenos mistakes a entrar nas métricas mesmo estando lá caida de pára-quedas à coisa de dois meses, os produtos a precisarem de sair da fábrica e ainda sem o desenho pronto porque os big bosses estão confusos, a vontade que tenho de não falhar e depois errar nas coisas mais pequenas e o meu nome que é um dos preferidos quando é preciso emitir documentos. Não estava preparada para isto. Já me estou a habituar, mas a verdade é que não estava preparada.

E o pior? A fúria do açucar que me deu esta semana! Depois de progressos visiveis na minha dieta, esta semana ataquei os rebuçados. E a culpa é dos meus fornecedores fofinhos que não sabem que estão a alimentar um bicho que se alimenta de gordices e depois ainda se afunda mais.

A parte boa? Em principio, se não houver problemas urgentes e o mundo não acabar, foram-me concedidos dois dias da próxima semana para férias em advance. Agora é fazer figas e esperar que não haja encomendas novas na próxima semana.

24
Ago15

Sou adulta!?

Dei por mim a pensar que já sou pseudo-adulta. Pseudo porque apesar de parecer adulta aos olhos que me vêem de fora, aqui dentro sinto-me mais uma miúda do que nunca (sempre tive a mania que era grande). Fiz as contas à vida e reparei que já estou no Porto à 1/4 (um quarto) da minha vida. Eu estava a ver que me tinha enganado e era só 1/6 mas depois de repetir a tabuada do 4 uma série de vezes e de recorrer à ajuda dos dedos cheguei mesmo à conclusão de que vivo no Porto à 1/4 (um quarto) da minha vida. E no entanto não sinto o Porto como minha casa. Apesar de fazer o mesmo percurso de fim-de-semana à seis anos ainda não me habituei. Se por um lado quero voltar para o Norte, para casa, por outro sei que não vou para lá fazer nada. Ainda é cedo, ainda tenho muito para aprender e muitos anos para voltar. Mas apesar da minha aparência adulta e da minha resistência em voltar, há alturas em que só me apetece ter a minha mãe ao lado (como se eu não fosse adulta) e não a 150 km de distância.

23
Ago15

Now I know what Newton felt

 

Sexta feira. Chego a casa e saio do carro. Fico no quintal a fazer festinhas aos bichinhos, mesmo por baixo da macieira que por esta altura está carregadinha. Uns momentos depois  "zás" e sinto uma dor lancinante. Uma maça acertou-me mesmo em cheio na cabeça. Naquele momento percebi o porquê de o Sir Isaac Newton ter invvestigado a gravidade da situação.

22
Ago15

How do I look?

Se por acaso já tentaram imaginar como é que eu seria e não arranjaram imaginação, esta semana disseram-me que eu tenho cara de catequista. Podem começar por aí. 

Há uns tempos já me tinham dito que tinha cara de escuteira... A pessoa que disse que tenho cara de catequista não desmitiu mas acho que continuo a ter mais cara de catequista. É sempre giro ouvir estas coisas.

16
Ago15

Amizades tóxicas

Esta história começa em 2009. Quando eu era um bebé (por assim dizer), estava numa cidade nova, sem amigos e sem saber bem para onde é que me havia de virar. Nessa altura era um "bicho do mato" que tinha muita dificuldade em lidar com pessoas novas. Mas fiz uma amiga. Ela estava-me sempre a ligar, a convidar para ir jantar, ir juntas para as aulas, tudo. A certa altura do percurso reparei que perdera um bocadinho a identidade aos olhos das outras pessoas. Éramos as duas e eu era a sombra dela. A verdade não era bem assim, eu fazia o que queria e bem me apetecia, ela é que fazia tudo igual mas dava a entender ao mundo que tinha sido ideia dela e que eu a estava a seguir.

Eu quis ir de Erasmus e ela não o que ainda me deu mais vontade de ir. Foram umas férias dela onde me conheci mais a mim e fiz amigos a sério. Voltei com os olhos abertos mas não consegui mudar muito a dinâmica da nossa amizade até porque tinha pena dela. Ela não tinha mais amigos, eu também não tinha propriamente bff's mas as pessoas gostam de mim ao contrário dela. Aguentei os últimos anos do curso a pensar que quando acabasse ia afastar-me. Fiquei super feliz quando ela arranjou emprego (uma oportunidade incrível no Sul) e ela também ficou, até eu ter arranjado também mas longe dela. Desde então que ela anda a tentar mudar e agora conseguiu finalmente. Adivinhem para onde é que ela vai trabalhar?

Estou feliz por ela, mas não consigo deixar de estar triste por mim. Nos últimos meses fiz amigos, as pessoas conhecem-me como individual, não tive que dar satisfações a ninguém e continuava a ser amiga dela á distância. Agora estou com medo que quando ela chegue me volte a roubar-me a vitalidade. Eu sei e tenho consciência que não me posso ficar a sentir mal por lhe dizer que não, nem lhe fazer a vontade às birras todas mas ela suga-me a minha energia toda. Pode ser que eu esteja a exagerar e que ela tenha mudado a atitude nos últimos meses.Pode ser que corra tudo bem...

11
Ago15

Trabalho

Lá no tasco é tudo ou nada. Depois da semana passada andar por lá a fazer turismo, esta semana está o caos. Começo a precisar de férias e não estão no horizonte...

Pág. 1/2