Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

babidibupi

Alegria. Amigos. Família. Faculdade. Livros. Música. Viagens. Amores. Futilidades. Desabafos. Tudo e mais alguma coisa. Babidibupi!

babidibupi

25
Jan17

Decisões decisões decisões

Viver em dois sítios ao mesmo tempo* é ter que decidir se no fim de semana vou dar um beijinho de parabéns à minha madrinha ou se vou ao jantar de aniversário de um dos meus melhores amigos. Sendo que no ano passado ganhou a madrinha e o tal amigo não estou com ele desde o meu jantar de aniversário last minute, por não ter conseguido ir para casa naquele dia. Escolha o que escolher eu sei que vou querer estar no outro lado.

 

 

*consiste em já ter deixado fisicamente a morada natal mas ainda assim ser essa a que me identifica, sendo que às vezs não sei onde pertenço mas no fim tenho duas casas

20
Jan17

Da paixão

É errado querer paixão, magia? Eu sou boa no que faço. Safo-me bem porque aprendo rápido e gosto de fazer bem. Mas não amo. De há uns tempos para cá custa-me imenso sair da cama de manhã e nem é por causa do frio, é mesmo por causa do trabalho. Eu bem sei que não é a mesma coisa mas apemas senti isto numa cadeira da faculdade. Apenas uma vez antes! E é este ir gostando que está a dar cabo de mim. A falta de desafio que me estimule intelectualmente. Nós quase dois anos que ali estou já fui evoluindo e não faço a mesmo de quando entrei, mas é mais do mesmo e estou numa fase que não dá para evoluir mais. Mas depois a chefe manda-nos por a mão na consciência e pensar bem. E a verdade é que a maior parte do tempo tenho um emprego fixo, com 40h semanais e poucas dores de cabeça. Mas fora dessas 40h semanais passo outras 40 a pensar nlo que raio estou a fazer à minha vida. É assim tão errado querer paixão e magia no trabalho?

18
Jan17

Sunrise

Sou uma pessoa que madruga. E para além disso ainda faço uns quilómetros de manhã. E ia a pensar cá para mim que isto vale a pena para ver amanhecer estes dias de primavera, que começa a ser cada vez mais cedo a olhos vistos. Depois lembrei-me que estamos no Inverno...

16
Jan17

Passe o tempo que passar

Passe o passar. Há quem nos provoque sempre aquele friozinho no estômago. E não quer dizer nada de especial. Só quer dizer que um dia aquela pessoa foi importante.

10
Jan17

Sou uma fatalista..

Tenho uma coisa no olho. Estou e estarei sozinha em casa. Estou por isso a escrever isto com um olhobà Camões a achar que vou viver assim para sempre.

09
Jan17

Terapia de amigos

Cono salvar uma amizade quando se percebe que começa a definhar? Como salvar uma amizade (muito) próxima quando os interesses, que nunca foram muito parecidos, começam a divergir demasiado? O pior não é a esta divergência, é a não aceitação e a crítica. Não somos todos iguais. O sentimento está lá, mas quando não há cedências (ou são sempre feitas pela mesma pessoa) não há futuro. É triste, mas eu acho que estou a ver uma amizade a esfriar... E o pior de tudo é que eu sinto que não estou a lutar por ela. Contínuo a gostar muito dela mas cada vez nos identificamos menos. E cada vez menos me apetece fazer cedências aos meus planos para fazer "fretes" nos planos com os outros... Dizem que se uma amizade sobreviver 7 anos é uma amizade para a vida, estamos no sétimo ano...

03
Jan17

No turning back

 

Não sou uma fada do lar e a cozinha não  é o meu forte. Mas morando sozinha tenho que fazer comida para mim. As coisas simples, nada de muito elaborado. Hoje enquanto fazia a sopa, camja com galinha que trouxe da avó, houve um momento, uma fracção  de segundos que tudo o que eu queria era fazer ctrl+z mas já  não  dava para voltar atrás. Tinha um ovo cozido e esmaguei-o. Assim que olheimpara o resultado arrependi-me e achei que se calhar o ovo inteiro teriansido uma melhor ideia... Depois apercebi-me que já não era a primeira vez que este pensamento me ocorria. No fim de semana deinpor mim amquere fazer ctrl+z à quantidade de açucar que estavaba por no bolo ( de abóbora  e nozes, caso vos interesse, porque posso não  saber cozinhar mas lá em casa as sobremesas são comigo!). Estou para aqui a falar de culinária porque tem exemplos muito imediatos (pelo menos para mim) mas podia estar a falar dos milhões de crtl+z mentais que faço enquanto tenho uma conversa.

Um dos meus desafios quando comecei a trabalhar foi  utilizar um software onde não havia a função de voltar atrás. Cada ponto e cada linha eram estudados e euntinha que pensar nas consequências de qualquer coisa errada porquenera o cabo dos trabalhos. Neste momento estou a trabalhar com um software diferente, precisamente com a filosofia oposta. Trabalhamos por execesso: faz-se, tenta-se, experimenta-se. Se correr mal anula-se. E isso está  a refletir-se no meu dia a dia. Pelo  menos a vontade de fazer ctrl+z quando o resultado não  era o que eu estava à espera.Mas a vida é mais como o primeiro software: quando alguma coisa corre mal não  é imediato voltar atrás. É sempre possível dar a volta (isso é indiscutível) demora éum bocadinho e requer tempo e esforço.

 

 

PS: A canja acabou por ficar boa, precisava de sal ,as issoneu posso mudar a qualquer instante.