Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

babidibupi

Alegria. Amigos. Família. Faculdade. Livros. Música. Viagens. Amores. Futilidades. Desabafos. Tudo e mais alguma coisa. Babidibupi!

babidibupi

24
Mar15

Neura

Há pouco mais de mês que apresentei a minha dissertação de mestrado. Há pouco mais de um mês que ando em entrevistas (quase diárias), e a percorrer o Norte de Portugal à procura de um lugar para mim. Há pouco mais de um mês que espero que o telefone toque com respostas (que não tenho). 

 

E este mês está a dar-me cabo dos nervos. Preciso de objectivos e de estabilidade. Não estou de férias e estou a ficar cansada desta luta. Quero ouvir os "não", mas o que eu quero mesmo é ouvir um SIM. E depois destas entrevistas todas, se não receber um sim vai-me atirar para o chão. Porque eu não posso fazer nada, tudo depende do que as pessoas acharam de mim. E neste momente eu não acredito em mim...

Se  no mês passado estava super confiante, agora estou-me a ir abaixo. 

23
Mar15

Desafio das 9 perguntas

A querida da Mom Sandra desafiou-me a responder a 9 perguntas. Muito obrigada, vou dar o melhor de mim para as responder.

 

1 - O que vos levou a criar um blog?

 

Desde que eu me lembro de ter internet que acho o mundo do blogs fascinantes. Desde o inicio que sempre fui tendo vários blogs que por uma razão ou por outra não pegaram... Com este sou feliz há mais de 2 anos. :))

 

2 - Porquê a escolha do Sapo?

Porque foi no Sapo que começou esta minha paixão e é aqui que estão a maioria dos blogs que sigo. Em tempos, também tive outro numa outra plataforma, mas não gostei muito...

 

3 - Notam alguma evolução na vossa escrita desde que começaram até hoje?

Só se foi para pior. Eu não sei escrever bem e não acho que esteja a melhorar.

 

4 - Sobre que temas mais gostam de escrever?

Gosto de escrever sobre mim. Pode parecer um bocadinho egoísta mas gosto de escrever sobre mim para depois mais tarde não me esquecer das coisas. Isto não é um diário, longe disso, mas às vezes ajuda-me a perceber-me melhor.

 

5 - Quais eram as vossas expectativas quando criaram o blog, e de que forma têm vindo a ser concretizadas?

Nenhumas, e já foram superadas mil vezes. Desde as pessoas que me lêem, das que comentam, os destaques que já tive... Não me imaginei aqui.

 

6 - Houve algum epísódio caricato que vos tenha acontecido enquanto bloggers?

 

Não que eu me lembre...

 

7 - Notam alguma diferença entre os blogs mais antigos, e os criados na actualidade?

 

Humm... Nunca pensei muito sobre o assunto...

 

8 - Podem-se fazer amizades através dos blogs?

 

Sim!!! Eu considero alguns bloggers meus amigos!

 

9 - Quais os vossos desejos bloguísticos para o futuro?

Não abandonar a  "casa"!

 

 

 

19
Mar15

Tortura

 Esperar que o telefone toque. Não sei o que é pior: a espera ou ouvir um não do outro lado.

17
Mar15

Onde se vê daqui a 5 anos?

Por muitas entrevistas que eu tenha nunca vou saber responder às perguntas do foro sobre mim. Já descobri 3 qualidades minha por cada uma ( acho que não repeti nenhuma...). Idem para os defeitos. E naquela de "Como é que lida com o stress?", apetece-me sempre responder "Está a ver-me a lidar com o stress neste momento!!!".

E sou eu a única, que quando nos deixam à espera (interminavel), olho para todas as esquinas à procura de câmaras de filmar? Acho sempre que me estão a filmar para me analisarem posteriormente. Eu sei, eu sei: eles tem mais que fazer. Ando a ver demasiadas séries de policiais onde eles fazem isso.
13
Mar15

Ó pá!

Sou balança. De signo solar e de ascendente. Para muitos pode não querer dizer nada mas a verdade é as características me assentam como uma luva. Há a parte boa, não querendo parecer convencida, que é conquistar as pessoas ao "Olá". A sério que não sei o vem em mim, não sou assim tão simpática nem social mas normalmente a primeira impressão que as pessoas tem de mim é que sou um amor gigante ( de um 1,80 mais precisamente).

 

Depois há as decisões. Que vão desde o "o que vou vestir de manhã" ou "o que vai ser o jantar". Estas duas tem mais ou menos solução fácil quando não tenho bem a certeza. Já muitas vezes ao pôr o pé na rua voltei atrás para trocar qualquer coisa (eu sei, sou uma vergonha). Mas depois há aquela do "e agora? o que é que tu vais fazer da tua vidinha? onde é que preferes começar a trabalhar?"... Ò pá! E se eu escolher um sitio que parece o pais das maravilhas e depois afinal não? E se eu me precipitar e no dia em que começar a trabalhar recebo o "SIM" daquela empresa que estou à espera de saber o resultado à meio século e que by now achei que fosse um não bem redondo? E se eu afinal for uma fraude e não souber fazer rien de rien e for despedida ao fim de uma semana? Há tantas possibilidades de isto correr mal e tantas variáveis que a minha balança parece que está no meio de um tornado.

 

Ó pá! 

 

12
Mar15

Manhãs

 

Esta semana as minhas manhãs foram lentas. Foram minhas. Acordei sem despertador ( nem me importei que tivesse sido às sete), tomei o pequeno-almoço na cama e tive mais cuidado comigo antes de sair de casa. E foi uma semana intensa e ainda não acabou. E a próxima avizinha-se igual (ou pelo menos eu quero muito). 

 

 

ÀHHHH! E sem tomar café antes do almoço... Sou uma pessoa nova!

11
Mar15

Thank's for the memories

Hoje vi-o a dar um beijinho à namorada. Eu já sabia que era namorada mas hoje tive a certeza. Não fiquei triste, não fiquei magoada nem com ciúmes. Já o superei. Não gosto dele como gostei mas no entanto ainda gosto dele. Eu tenho um defeito: gosto para sempre das pessoas. Mesmo depois de me magoarem. E ele magoou-me muito por não me ter dado uma oportunidade quando os sinais que ele me dava era de que queria o mesmo que eu. Na hora da verdade voltou com o pé a traz espetou-me uma faca nas costas, quando eu menos esperava. Mas já passou e já o superei mas continuo a gostar dele. Durante um (curto) período de tempo fez-me feliz e me fez-me ter vontade de acordar e sorrir com expectativas e por isso acho que vou gostar dele para sempre. Não adianta pensar nos "e se" porque não aconteceu e isso não faz bem mas gosto de pensar que no fundo, e apesar de ter fugido, eu não lhe fui indiferente. E ter a namorada (que não é em nada parecida comigo) a olhar-me de lado e a olhar para ele de cada vez que nos cruzamos (que não são poucas) dá-me a certeza que num tempo longínquo eu signifiquei alguma coisa. Agora quero que eles sejam felizes, eu também sou.