Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

babidibupi

Alegria. Amigos. Família. Faculdade. Livros. Música. Viagens. Amores. Futilidades. Desabafos. Tudo e mais alguma coisa. Babidibupi!

babidibupi

29
Jun16

Entrei em depressão!

Aos 24 anos, vejam lá que ainda nem aos 25 cheguei que ainda falta uns pares de meses, o meu dermatologista receitou-me um creme para as rugas. Dermatologista esse ao que eu recorri há uns tempos para tratar do acne que teima em não desaparecer e fazer-me parecer uma miúdo no auge da puberdade. Ao que parece estou melhorzita do acne e o médico alterou-me o tratamento. Qual não é o meu espanto quando estou a ler o creme novo e vejo que é para as rugas e para combater a flacidez da pele!! Acho que nunca mais vou sair de casa.

28
Jun16

Surprise

Quando conhecemos uma pessoa nova, normalmente, passamos sempre pelas perguntas rotineiras da praxe. E eu adoro ver a reação das pessoas a algumas perguntas standards. Começa logo com o "Como já não andas na faculde?". Apesar do meu tamanho (e idade, já agora) pareçonuma menina pequenina que acabou de fugir à mãe para comer doces às escondidas. Depois vem a pergunta da profissão. É sempre muito divertido ver as reações. As pessoas não estão nada à espera de uma menina engenheira. Ainda há muito preconceito de procissões masculinas e femininas em Portugal.

27
Jun16

Dos carros

Isto de ter carros é tudo muito bonito mas chega a hora de estacionar ao pé de casa e é sempre a mesms coisa: 20 minutos a meia hora à espera de arranjar lugar! Isto é daquelas coisasnque me deixa os nervos totalmente em franja!

13
Jun16

Daquelas coisas

Eu não sei ter amigos. Nunca fui pessoa de andar agarrada ao telefone a mandar mensagens a 35954 milhões de pessoas diferentes. Quando estou com as pessoas, seja num café ou no trabalho/faculdade, sou uma tagarela mas chego a casa e desligo-me do mundo exterior e isolo-me um bocadinho. Por isso sei que perdi muitas relações de amizadade, que a partir do momento em que não estou com as pessoas pessoalmente tenho medo de as perturbar enviando-lhes mensagens.Tenho apenas duas amigas, que por sinal moram longe, a quem eu sou menina de enviar mensagem primeiro e passar horas a falar com elas. São a excepção que confirma a regra. 

Mas agora tenho um amio. Amigo esse, um daqueles seres sociais com montes de amigos e amigas. E esse amigo, com quem eu não estou fisicamente há algum tempo, manda mensagens! E não estou nada habituada a estas coisas. Se por um lado gosto desta nova vertente de amizade, por outro tenho muito medo desta amizade, de me apegar demasiado a isto que pode desaparecer num instante. Não estou nada habituada a deixar as pessoas entrarem assim na minha vida pessoal. Nada...

Pág. 1/2