Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

babidibupi

Alegria. Amigos. Família. Faculdade. Livros. Música. Viagens. Amores. Futilidades. Desabafos. Tudo e mais alguma coisa. Babidibupi!

babidibupi

28
Dez18

De 2018

2018 não foi um ano bom.

Em 2018 fui a Paris, fui às Astúrias, fui a Viena, fui a Maiorca, fui a Nuremberga, fui a Bilbao e San Sebastián e a mais uma mão cheia de sítios novos em Portugal. Em 2018, quer sozinha, quer com amigos, em trabalho ou em família, cheguei à conclusão que para mim as viagens funcionam como uma pedrada emocional. Fazem bem, limpam a alma mas não adianta fugir dos problemas, eles continuam lá quando voltamos.

Em 2018 comecei basicamente o trabalho novo (uma vez que tinha mudado em Novembro de 2017) e tive que batalhar muito. Fui (pseudo-)promovida duas vezes. Houve uma altura em que estava tudo a correr bem mas depois, por motivos corporativos que me ultrapassam isso acabou. Há três meses que vou para o emprego. A última pseudo-promoção foi antes das férias, esperemos que isso signifique algum trabalho no ano novo.

Em 2018 fui a uma entrevista de emprego. Foi na altura em que estava tudo bem e nem queria muito. Entretanto, tudo piorou e ontem, meses depois deram-me um feedback negativo. Ficou a esperança em 2018.

Entrei em 2018 a recuperar de um coração mais ou menos partido. Passei por uma paixãozita platónica por um homem casado e pai de filhos e acabo com uma confusão de sentimentos pelo Miúdo. Ele era meu amigo antes e eu misturei tudo. Agora nem sei em que pé estamos e eu acho que ele pode ser homossexual. Queria deixar o assunto miúdo em 2018 mas este eu já sei que só vai ser fechado lá para 2019.

Em 2018 comecei a procurar uma casa para mim a sério. Em 2018 fiz uma pausa na procura. Em 2019 quero muito efectivar uma compra, mas sinto que preciso de alinhar primeiro a minha vida profissional.

Em 2018 engordei bastante no inicio do ano e nos ultimos meses emagreci imenso. Nunca estive tão magra em adulta como estou agora. Não fiz dieta, foi a vida. O meu cabelo também passou de encaracolado a liso esquesito: o stress. E para ajudar à festa tenho aparelho nos dentes.

Em 2018 dei mais valor às amizades. Sinto que ajudei e estive lá para muita gente. Sinto que deixei de ter medo das pessoas e que me consegui abrir mais. Mas sei que vou ter ainda muito trabalho pela frente em 2019.

Em 2018 as pessoas disseram-me que me sentiam muito em baixo, como em mais nenhum outro ano até agora me disseram. Estive tempos e tempos sem escrever uma linha aqui porque não sabia o que escrever. Aqui sou eu sem filtros, sem estar tudo bem. Mas é preciso forças para admitir que não está tudo bem e não esconder a cabeça na areia como as avestruzes.

Em 2018 não fui sempre infeliz. Diverti-me imenso, comi muito, dancei até de manhã, fiz muitas coisas pela primeira vez. 2018 não sendo um bom ano não foi completamente péssimo. Eu é que não me senti bem em 2018, não combinou comigo.

2018, faltam 3 dias e espero não vir a ter saudades tuas.

2019, faltam 3 dias e tenho muitos objectivos para ti. Vamos trabalhar para concretizar todos!

2 comentários

Comentar post